O abc da pintura em tecido
ESTIRADO DA SEDA
Realiza-se com um bastidor. No mercado podem se conseguir diferentes modelos, alguns fixos e outros reguláveis (extensíveis de acordo à medida necessária). Para estirar pode se usar fita dupla face ou percevejos.

PASSO A PASSO
1 - Encaixar os lados do bastidor e bater com um martelo para que fique bem firme. 2 - Cortar um pedaço de fita dupla face de acordo à medida do bastidor. Colocar sobre o bastidor e retirar a fita que fica em cima. Repetir a tarefa com os três lados que faltam. 3 - Apoiar a seda, de um lado, sobre a fita. Em seguida colar o lado oposto. Fazer o mesmo com os dois lados que faltam estirando muito bem a seda. Caso contrário, descolar e estirar novamente.
Acessórios complementares
Há elementos e ferramentas que facilitam a tarefa e servem para conseguir efeitos muito originais.
Mamadeira de demarcação
É um frasco plástico com ponta que serve para aplicar a tinta e permite delinear os desenhos que vão pintados.
Canetas indeléveis
Podem se conseguir em várias cores, servem para desenhar certos tipos de pêlos, assinar os trabalhos e delinear.
Seringas descartáveis
São utilizadas em algumas técnicas como a pintura de estilo chinês. Podem-se conseguir linhas muito finas e delineados diferentes aos da mamadeira. 
Secador de cabelo
É fundamental para acelerar a secagem à medida que vamos pintando.
Ferro elétrico
é indispensável para fixar a tinta depois de terminado o trabalho. Existem aquarelas que são fixadas exclusivamente ao vapor. 
Lavagem dos Pincéis
O bom estado dos pincéis é um tema muito importante. Ao terminar um trabalho devem ser cumpridos todos os passos necessários para guardá-los em perfeito estado.
1 - Molhar o pincel e esfregá-lo por uma barra de sabão branco. 2 - Segurar as cerdas entre os dedos e esfregar suavimente para retirar todos os restos de tinta acumulada. 3 - Enxaguar com água limpa.
Recipientes
É imprescindível ter sempre á mão recipientes de água limpa para poder enxaguar os pincéis à medida que pintamos. Os frascos vazios , por outro lado, servem para guardar restos de tintas já preparada. Sobretudo se tem em conta que, para pintar superfícies grandes, tem que preparar a cor, toda de uma vez, para evitar diferenças de tonalidade.

Bases de apoio 
São de fabricação simples e fundamentais para trabalhar com modalidade. Explicamos como armá-las:

Base de isopor 
1 - Cortar um retângulo de isopor (30x40 cm de espessura)
2 - Apoiar sobre ele algumas folhas de jornal tratando de se forme uma superficie lisa, sem pregas nem orla.
3 - Recobrir com um tecido de algodão de cor clara e estirá-la muito bem. Costurar as beiradas, e trocar quando esteja manchada de tinta.

Base de papelão
Forrar um recorte de papelão com papel de embrulho branco. Fixá-lo com alfinetes ou fita crepe.

Base para técnica porcelanizada
1- Dispor de um retângulo de isopor (2cm de espessura) de acordo com a medida do desenho que vai trabalhar.
2- Forrar com papel embrulho ou padaria.
3- Apoiar a folha do desenho e protegê-la cobrindo-a com plástico transparente.
Apoiá-la e sustentar com alfinetes.
hit counter
Categorias